Leiam com Atenção

Todos os links e arquivos que se encontram no site, estão hospedados na própria Internet, somente indicamos onde se encontra, não hospedamos nenhum CD ou programas que seja de distribuição ilegal. - Qualquer arquivo protegido por algum tipo de lei deve permanecer, no máximo, 24 horas em seu computador. - Eles podem ser baixados apenas para teste, devendo o usuário apaga-ló ou compra-ló após 24 horas. - A aquisição desses arquivos pela internet é de única e exclusiva responsabilidade do usuário.- Os donos, webmasters e qualquer outra pessoa que tenha relacionamento com a produção do site não tem responsabilidade alguma sobre os arquivos que o usuário venha baixar e para que irá utiliza-lós.

OBSERVAÇÃO: De acordo com o Art.184 do código penal, disponibilizar e baixar arquivos na internet não é crime de pirataria, pois não consiste em obtenção de lucros. A pirataria so é consumada quando o dono do site/blog ou pessoa que baixou estiver obtendo lucro sobre a obra protegida por direitos autorais sem a autorização do autor.


sábado, 25 de abril de 2009

VITAL FARIAS - De Taperoá-Paraíba para o mundo!

VITAL FARIAS



No começo, em Taperoá

Vital Farias fez seus primeiros estudos em casa, com seus irmãos mais velhos, lendo folhetos de cordel, ainda na Pedra D'Água, sítio onde nasceu, no município de Taperoá - Paraíba. Logo depois, começou seus contatos com a cidade de Taperoá, onde cursou o primário no Grupo Escolar Felix Daltro. Fez exame de admissão e parte do ginásio na Escola Professor Minervino Cavalcanti, que funcionou no mesmo grupo escolar, idealizado pela então benfeitor e amigo de todos nós Dr. Adonias de Queirós Melo (dentista,homem de muito amor pelas causas educativas).

Ave de arribação

Migrou para João Pessoa para servir o exército brasileiro (15º Regimento de Infantaria), onde passou dez meses e quinze dias. Saindo do exército, continuou seus estudos no Lyceu Paraibano em plena ditadura militar. Nesse tempo já compunha e já se sentia um cantador, pois as suas origens reclamavam da cultura do seu povo e trazia nas suas memórias,desde criança, muitas cenas em Taperoá e nos sertões vizinhos da profunda covardia do sistema capitalista que esmaga e oprime o trabalhador. Mas, por força das circunstâncias "lei da sobrevivência"formou um conjunto de iê-iê-iê juntamente com Floriano, Cecílio Ramalho e Golinha ao estilo The Beatles, que na época incendiou com suas canções belíssimas o mundo inteiro. Apesar disso, Vital não se esqueceu das cantigas de seu povo, das ladainhas, das incelenças e cantilenas e paralelamente desenvolvia um trabalho onde contemplava suas origens.

Suando a camisa

Na década de 70 foi professor do estado,ministrando aulas de teoria e violão por música, tendo como orientador Fidja Siqueira, Pedro Santos, Gerardo Parentes, Bento da Gama, entreoutros. Paulatinamente conviveu e participou no Teatro Santa Rosa devários trabalhos teatrais: ora como músico, ora como ator, ora como criador. Realizou alguns trabalhos de cinema. Com essa experiência,anos depois já no eixo Rio-São Paulo participou do premiadíssimo filme O HOMEM QUE VIROU SUCO (primeiro lugar no festival internacional de Moscou-1981). Atuou como diretor musical e roteirista poético.

No Pau-de-Arara

Em 1975 rumou para o Rio de Janeiro. Lá chegando, participou da peça do Diretor Luis Mendonça LAMPIÃO NO INFERNO juntamente com Pedro Osmar,seu companheiro de viagem e ex-aluno, Elba Ramalho, Tânia Alves, Kátia de França Imara Reis, Tonico Pereira, Madame Satã, Hélio Guerra, Joel Barcelos, Walter Breda, Damilton Viana, entre outros. Por outro lado,seguia seu sonho de poeta-cantador, compondo, participando das questões sociais e políticas do Brasil, chegando a participar da peça GOTA DÁGUA, de Chico Buarque e Paulo Pontes, seu amigo. Continuou, como sempre, alimentando seu desejo. Fez vestibular na CESGRANRIO, onde foi aprovado para o curso da Faculdade de Música, onde se formou em 1981.Nesse espaço de tempo teve orientação de arranjo e regência com os professores e Maestros Radamés Gnatali e José Alves de Sousa, ex-padre e professor-diretor da faculdade de música.

Poucos, porém grandes parceiros

Vital, por ser um cantador bisexto,nunca teve muitas parcerias. A não ser com Livardo Alves, Jomar Souto, com a obra Eu sabia, Sabiá, isso na Parahyba e depois com Salgado Maranhão, já no Rio de Janeiro, onde morou na casa do estudante universitário em Botafogo. Só para não esquecer, a ditadura campeava cerceando direitos e maltratando quem fizesse a verdadeira arte cidadã neste país, sendo achacado, diversas vezes impedido de cantar certasobras, etc. etc. etc.

Aleluia, habemus disco

Em 1978 faz na Polygram seu primeiro LP (VITAL FARIAS). Laureado por toda crítica brasileira, inclusive pela maior autoridade da crítica especializada no país José Ramos Tinhorão - historiador e crítico do Jornal do Brasil.Durante todo esse tempo, Vital continuou lendo, debatendo, fazendo palestras, cantorias. Seu trabalho, como é do conhecimento de todos nós, é um trabalho polêmico no que concerne ao Humano, Social,Político, Ecológico etc.

O resto é de domínio público. (se quiser saber de tudo que aconteceu com Vital Farias, pergunte a DEUS...)

Taperoá - Parahyba - Nordeste - Brasil - América do Sul - Ocidente - Planeta Terra - Via Láctea -AMÉM

Discografia:

1978-Vital Farias
1980-Taperoá
1982-Sagas brasileiras
1984-Cantoria I-com Elomar, Xangai e Geraldo Azevêdo-ao vivo!
1985-Do jeito natural
1988-Cantoria II-com Elomar, Xangai e Geraldo Azevêdo-ao vivo!
2002-Uyraplural com Giovanna Farias

Vital Farias
1978 - PolyGram


Disco de estréia de Vital Farias. Recebido pela crítica especializada - Zuza Homem de Melo (Folhade São Paulo), Sergio Cabral (Jornal OGlobo-RJ), entre outros - como uma das mais importantes obras realizadas naquela ocasião. O crítico e historiador da música brasileira José Ramos Tinhorão (CadernoB - Jornal do Brasil-RJ) se referiu a Vital Farias da seguinte forma:"O compositor Vital Farias tem a grandeza dos arranjos de quem conhece e domina
a matéria, sendo um dos maiores entre todos estes."


  • Canção em Dois Tempos (Era casa, era jardim)
  • O Sobreassalto
  • Bate com o Pé o Xaxado
  • Bandeira Desfraldada
  • Via Crucis da Mulher Brasileira
  • Alice no Curral das Maravilhas
  • Deixe de Afobação
  • Expediente Interno
  • Poema Verdade
  • Caso Você Case
  • Ê Mãe
  • Estudo nº 22
  • link:
    http://www.mediafire.com/?dum1hx1omrm

  • Taperoá 1980 - CBS




Este disco foi dedicado a mãe do compositor, Olívia Farias. "Tudo vai bem" teve a sua letra bloqueada pela censura da época, haja visto que reinava, plena e pinpona, a democradura militar de 64.


Fazem parte deste lançamento as antológicas sagas:Saga da Amazônia, Saga de Severinim e Saga do Boi de Mamão, esta última oferecida ao Mestre Antõim do Boi de Mamão de Taperoá. Forrofunfá é uma outra homenagem ao maior folista de oito baixos que o mundo já produziu: Abdias dos Oito Baixo, natural de Taperoá e primo do Vital Farias. Belo Belo é um estudo para violão oferecida a Herminio Belo de Carvalho, e Sete Cantigas para Voar,oferecida a sua amiga-irmã Elba Ramalho.

  • Do Meu Jeito Natural
  • Forrofunfá (A Abdias dos 8 Baixos)
  • Sete Cantigas Para Voar (A Elba Ramalho)
  • Ai Que Saudade D'ocê (Vital Farias)
  • Saga de Severinin
  • Saga da Amazônia
  • Trem da Consciência
  • Belo Belo
  • Apesar da Solidão
  • Saga do Boi de Mamão
    link:
    http://rapidshare.com/files/79660832/Vital_Farias_-_Sagas_Brasileiras__1982_.zip.html

    1985-Do Jeito Natural - Coletânea PolyGram


    Esta coletânea reúne as obras mais expressivas do cantador.

  • Canção em Dois Tempos
  • Bate com o Pé o Xaxado
  • Sete Cantigas Para Voar (A Elba Ramalho)
  • O Sobreassalto
  • Deixe de Afobação
  • Forrofunfá (A Abdias dos 8 Baixos)
  • Caso Você Case
  • Do Jeito Natural
  • Ê Mãe
  • Poema Verdade
  • Expediente Interno
  • Ai que Saudade de Ocêlink:
    http://rapidshare.com/files/79708476/Vital_Farias_-_Do_Jeito_Natural__1985_.zip.html

    1984-Cantoria I-Com Elomar,Xangai,G.Azevêdo-Vivo
    Kuarup Discos



    O tempo,que faz todas as concessões, menos voltar atrás, se encarregou de documentar esses momentos que foram vividos em diferentes lugares deste país chamado Brasil; desde Salvador (Teatro Castro Alves), aonde foi gravado ao vivo a Cantoria 1, até Cantoria 2, que foi gravado em diferentes lugares, como, por exemplo: Rio de Janeiro (Sala Cecília Meireles), São Paulo (Teatro de Cultura Artística), Campinas - SP(Centro de Convivência), Belo Horizonte (Palácio das Artes), Brasília(Teatro Nacional Villa Lobos). Finalizando este sonho real que durou mais ou menos a vida inteira. Definitivamente. (Vital Farias)

    * Desafio do Auto da Catingueira
    * Novena
    * Sete Cantigas para Voar
    * Cantiga do Boi Incantado
    * Kukukaya (Jogo da Asa da Bruxa)
    * Ai que Saudade de Ocê
    * Ai d'eu Sodade
    * Semente de Adão
    * Cantiga do Estradar
    * Violêro
    * Saga da Amazônia
    * Matança
    * Cantiga de Amigo

    link:
    http://rapidshare.com/files/139863296/-_Cantoria_1_G._Azevedo__Elomar__Xangai_e_Vital_Farias_Ao_Vivo__1984_.zip.html


    1988-Cantoria II-c/Elomar,Xangai e G.Azevêdo-Vivo Kuarup Discos

* Desafio do Auto da Catingueira
* Repente
* Novena
* Era Casa, era Jardim / Veja Margarida
* Sabor Colorido
* Moça Bonita
* Na Quadrada das Águas Perdidas
* Cantilena de Lua Cheia
* Arrumação
* Suite Correnteza
* Barcarola do São Francisco
* Talismã
* Caravana
* Estampas Eucalol
* Saga de Severinin
* Cantiga de Amigo

link:
http://rapidshare.com/files/139855260/-_Cantoria_2_G._Azevedo__Elomar__Xangai_e_Vital_Farias_Ao_Vivo__1988_.zip.html


2002-Uyraplural-Giovanna Farias & Vital Farias

Uyrapluralé o título do disco de estréia da cantora Giovanna Farias, filha do compositor Vital Farias. Lançado de forma independente (pela gravadora Discos Vital Farias) e com produção e concepção a cargo de Vital, o álbum de Giovanna traz composições de Waldemar Henrique (Tamba-tajá e Uyrapuru), Juvenal Pedro da Silva (Quem Vive Assim Como Eu) e Gilvan Santos (Ciranda de Terreiro), mas é nas canções do próprio Vital - que assina 15 das 21 faixas - que o repertório se baseia. O CD é apenas o primeiro dos quatro lançamentos que o selo do compositor paraibano prepara para este ano; em breve sairá o disco Vital Farias ao Vivo e aos Mortos Vivos, gravado ao vivo.

Faixas:
Cd1
A Palavra Amor
Ai Que Saudade D'ocê
Caba-Véi
Cantiga De Passarinho
Cantilena De Lua Cheia
Cantilena Nº 3
Caso Você Case
Caso Você Case (Ao Vivo No ATL Hll)
Ciranda De Terreiro
Era Casa Era Jardim
Link:
http://www.mediafire.com/?eujwwbxty1m

Cd2
Não Jogue Lixo No Chão
Quem Vive Assim Como Eu
Saga De José E Maria
Saga Do Boi De Mamão
Saga Do Cigano Anastácio
Sete Cantigas Para Voar
Tamba-Tajá
Uyrapuru
Veja [Margarida]
Via Crucis Da Mulher Brasileira
Vitalizar
Link:
http://www.mediafire.com/?4ezxjnntxtz

NOTÍCIA PASSADA!

Quinta-feira, 17 de Julho de 2008

VITAL FARIAS NO DIA DE PROTEÇÃO ÀS FLORESTAS



Hoje, 17 de Julho - Dia de Proteção às Florestas - é fundamental para que possamos lembrar da importância de conservarmos nossas florestas: aumentar a proteção, manter os múltiplos papéis e funções de todos os tipos de florestas, reabilitar o que está degradado. Isto é, preservar a vida no planeta.


E falando em Proteção às Florestas, veio à mente a figura do menestrel VITAL FARIAS, que inclusive participou do programa na TV CULTURA, na noite da última terça-feira, 15/07, com reprise no domingo, 20/07, às 10h00, no mesmo canal, TV CULTURA. Entre os meus links favoritos está o site do Vital Farias e do programa Sr. Brasil para mais e melhores informações.



No dia 23 de Janeiro de 1943, em Taperoá (PB), nascia VITAL FÁRIAS, caçula de 14 irmãos. Foi alfabetizado com as irmãs através da Literatura de Cordel. Aos 18 anos, apesar da tradição musical da família, começou a estudar violão sozinho. Nessa época, foi para João Pessoa para servir ao Exército. Participou de diversos conjuntos musicais, entre os quais "Os quatro loucos", que apresentava imitações de músicas do conjunto de rock inglês "The Beatles". Pouco depois passou a dar aula de violão e teoria musical no Conservatório de Música de João Pessoa. Em 1975 mudou-se para o Rio de Janeiro, e no ano seguinte foi aprovado no vestibular para a Faculdade de Música. No Rio de Janeiro começou a participar de shows e outros eventos artísticos, como a peça “Gota d’água” (1976), de Chico Buarque de Hollanda, atuando como músico. Sua primeira composição gravada foi "Ê mãe", em parceria com Livardo Alves e gravada por Ari Toledo. Em 1978 gravou o seu primeiro disco. Dois anos depois saía “Taperoá”, seu segundo disco. Em 1982 lançou o LP "Sagas brasileiras". Em 1984 lançou, pela Kuarup, o CD Cantoria I, com Elomar, Geraldo Azevedo e Xangai. Em 1985 lançou o LP "Do jeito Natural", uma coletânea com seus maiores sucessos. No mesmo ano participou do álbum Cantoria II, com os mesmos integrantes do CD anterior. Depois disso resolveu parar de gravar por um tempo e passou a se dedicar aos estudos. Suas composições destacam-se pelo humor e inventividade, onde se mesclam canções nordestinas, sambas de breque, modinhas, xaxados e outros ritmos. Em 2002 lançou o disco "Vital Farias ao vivo e aos mortos vivos". Recebeu, ainda no mesmo período, o título de Cidadão do Rio de Janeiro.


Do CD CANTORIA extraímos a canção, dentre tantas lindas:


"SAGA DA AMAZÔNIA


Composição: Vital Farias


Era uma vez na Amazônia a mais bonita floresta / mata verde, céu azul, a mais imensa floresta / no fundo d'água as Iaras, caboclo lendas e mágoas / e os rios puxando as águas / Papagaios, periquitos, cuidavam de suas cores / os peixes singrando os rios, curumins cheios de amores / sorria o jurupari, uirapuru, seu porvir era: fauna, flora, frutos e flores / Toda mata tem caipora para a mata vigiar / veio caipora de fora para a mata definhar / e trouxe dragão-de-ferro, prá comer muita madeira / e trouxe em estilo gigante, prá acabar com a capoeira / Fizeram logo o projeto sem ninguém testemunhar / prá o dragão cortar madeira e toda mata derrubar: se a floresta meu amigo, tivesse pé prá andar / eu garanto, meu amigo, com o perigo não tinha ficado lá / O que se corta em segundos gasta tempo prá vingar / e o fruto que dá no cacho prá gente se alimentar? / depois tem o passarinho, tem o ninho, tem o arigarapé, rio abaixo, tem riacho e esse rio que é um mar / Mas o dragão continua a floresta devorar / e quem habita essa mata, prá onde vai se mudar??? / corre índio, seringueiro, preguiça, tamanduátartaruga: pé ligeiro, corre-corre tribo dos Kamaiura / No lugar que havia mata, hoje há perseguição / grileiro mata posseiro só prá lhe roubar seu chão / castanheiro, seringueiro já viraram até peão / afora os que já morreram como ave-de-arribação / Zé de Nata tá de prova, naquele lugar tem cova / gente enterrada no chão: Pos mataram índio que matou grileiro que matou posseiro / disse um castanheiro para um seringueiro que um estrangeiro / roubou seu lugar / Foi então que um violeiro chegando na região / ficou tão penalizado que escreveu essa canção / e talvez, desesperado com tanta devastação / pegou a primeira estrada, sem rumo, sem direção / com os olhos cheios de água, sumiu levando essa mágoa / dentro do seu coração / Aqui termina essa história para gente de valor / prá gente que tem memória, muita crença, muito amor / prá defender o que ainda resta, sem rodeio, sem aresta / era uma vez uma floresta na Linha do Equador... "


Fonte:
No mapa acima dá para se ter uma noção da grave situação do desmatamento da Floresta Amazônica, devemos nos lembrar também da Mata Atlântica e outras. Cabe denunciar e participar das campanhas em prol da preservação das florestas.

9 comentários:

  1. Caro Ferrari, parabens pelo blog! Antes de olhar seu perfil senti que era de JP, nas entrelinhas do que traça para o Vital Farias, lembra o Golinha, ai tbem de JP, e figura muito querida. Chamamentos como o que vc faz em relação a situação de nossos biomas são importantissimos, lembraria inclusive a visão sentida pelo Vital de passagem pela Amazonia e traduzida em seu disco "sagas brasileiras" de 1982 ( a propósito refaça o link da postagem se for possível, nosso país vai agradecer). Thanks a lot e continui firme com o estilo impar de manter este blog. Muito grato.

    ResponderExcluir
  2. Pablo Baroni, muito grato pelo elogio. Lembro muito do inesquecível GOLINHA, tocou nos 4 LOUCOS com Zé Ramalho, também foi amigo do HUGO LEÃO. Golinha era uma grande figura humana. O link irei ver se encontro pela net. Pois não tenho disponível no momento.

    ResponderExcluir
  3. Meu nome é Eliseu O. Filho,,,,sou mais conhecido como Lee, sou ex tecladista da banda Recordando o vale das maçãs, que nascia na mesma época em que conheci Vital Farias no Teatro Aplicado, Trocavamos figurinhas mostrando novissimas canções....Não creio que ele lembre de mim...Mas eu nunca esqueci seu maravilhoso trabalho e sempre que posso comento isso em minhas apresentações autorais...Obrigado Abrç.

    ResponderExcluir
  4. SOU MUITO OBJETIVO NAS MINHAS COLOCAÇÕES.
    MAS ESSA COISA DE INTERNET É D++++++++++
    ESSE BLOG É MUITO BOM.
    VIXE! JA RECOMENDEI A VARIOS AMIGOS
    E PARABENS AO IDEALIZADOR.

    ResponderExcluir
  5. Sou graduado em geografia,com pós graduação em meio ambiente. hj, professor de historia e tenho um apreço danado por esse cabra conterraneo, sou de cabaceiras no cariri paraibano, uso suas letras na sala de aula. vixe! como tem gente que nem sabe quem é Vital Farias.

    ResponderExcluir
  6. Caro Vital, muita satisfação em falar contigo, grande artista paraibano.... gostaria muito que vc me enviasse a música que vc esta cantando no guia eleitoral, já procurei tanto na web...jailton.linoborges@hotmail.com

    ResponderExcluir
  7. Didi, cá das avenças do meu Paracatu! Vital meu irmão! Nossas almas irmanadas sem sequer conhecimento de perturas...Blog do presente que louva seu passado presente de sons que encantam, abrem olhos, vislumbram futuros e renova a mania de sermos Brasileiros! Mas da estirpe bela de Deus, que infunde-nos sempre querer o melhor a esse mundo de Deus! Vital! Que a graça de Deus te persiga incessantemente e aos seus e vivas como suas canções que riem do morrer, eternas que são!
    didiparacatu.com.br

    ResponderExcluir
  8. Valeu mesmo, estava já um tempo tentando baixar esses discos, obrigado!!!!

    ResponderExcluir
  9. Brodão, valeu. Alguns links estão quebrados, mas o que não estava baixei. Valeu mesmo.

    ResponderExcluir